Minas de sal - Wieliczka (Polónia)

Situada a poucos quilómetros de Cracóvia, esta mina de sal é a mais antiga do continente europeu, estando em exploração desde o ano de 1044! A partir de 1978 as minas de sal de Wieliczka passaram a ser consideradas pela UNESCO como Património da Humanidade. Para tal terá contribuído, por certo, a beleza da capela de Santa Cunegunda e as suas esculturas feitas em sal, de que se destaca a estátua do Papa João Paulo II, mas ao longo das suas galerias (com mais de 300 de quilómetros!) poderão ainda ver-se outras capelas, várias estátuas, lagos, reconstituições, etc. De notar que ao longo da visita praticamente só se vê sal, madeira e uma ou outra parede de tijolo. Todas as esculturas (e até o pavimento!), que por vezes parecem ser de granito, são feitas em blocos de sal ou directamente esculpidas nas paredes (...de sal!).

Para além dos cerca de um milhão de pessoas anónimas que anualmente visitam a mina, há também a tradição de a mesma ser visitada por gente famosa (entre outros destacam-se as visitas de diversas figuras mundiais importantes, tais como Nicolau Copérnico, Goethe, Robert Baden-Powell, Karol Wojtyła (mais tarde papa João Paulo II), Bill Clinton,...).

A muitos metros de profundidade, as minas dispõem de uma meia dúzia de estabelecimentos comerciais, onde é possível adquirir recordações (por exemplo pequenas esculturas feitas em sal), tomar uma bebida ou almoçar! Nas suas galerias subterrâneas, realizam-se também diversos eventos sociais, tais como banquetes, concertos e provas desportivas. Existe ainda um sanatório, onde pessoas com problemas alérgicos ou respiratórios podem desfrutar dos benefícios de uma temporada subterrânea. O ar é totalmente saudável para os asmáticos porque não tem contacto algum com factores alérgicos. Os elevados índices de humidade e cloreto de sódio nas galerias subterrâneas das jazidas favorecem também a regeneração das mucosas, sendo as estadias consideradas eficazes para cerca de 90% dos pacientes.

Durante a segunda guerra mundial, as minas de sal foram ocupadas pelos alemães, como armazém para fábricas de produtos militares.

Segundo a lenda Cunegunda (mais tarde Santa Cunegunda), filha de um rei húngaro, foi prometida ao rei da Polónia. Ao receber do pai, como dote, muito ouro e pedras preciosas, recusou-as, dizendo que tinham origem nas lágrimas e no sangue do povo. Em vez de riquezas, pediu sal, um bem essencial. Seu pai, ofereceu-lhe então uma mina de sal na Transilvânia. Cunegunda, em sinal de aceitação do presente, atirou o seu anel para dentro da mina. Mais tarde, já na Polónia, realizou uma viagem por Cracóvia e, chegando à zona de Wieliczka pediu aos seus súbditos que cavassem um buraco profundo. Para espanto de todos, o buraco continha sal em abundância. E continha também o anel que Cunegunda deixara na Transilvânia. A partir dessa altura, as minas passaram a ser exploradas e tornaram-se da maior importância na Europa. Esta lenda está representada numa das galerias da mina, através de diversas esculturas.

Minas de sal de Wielizka - Polónia

Os carros eléctricos - Porto

Anualmente, no primeiro sábado de Maio, os STCP promovem um desfile dos carros eléctricos do Porto. As fotos que mostro são do desfile de 5/Maio/07.

Os electricos antigos do Porto

Construções na areia - Figueira da Foz

As fotos que mostro são referentes a um concurso internacional de construções na areia que ocorreu na praia da Figueira da Foz no verão de 2005. Como já visitei as construções um pouco tarde, algumas das mesmas já mostram uma certa "erosão".

Construções na areia - Figueira da Foz

Festa das rosas - Vila Franca do Lima (Viana do Castelo) - I

No passado dia 12 de Maio, em Vila Franca do Lima, iniciou-se mais uma edição da Festa das Rosas, uma tradição iniciada em 1622! Esta Festa culmina com o desfile dos cestos na procissão.

Nesta aldeia do concelho de Viana do Castelo trabalhou-se arduamente para confeccionar os cestos, que, para além de rosas, são decorados com outras flores e plantas do campo (bálsamo, giesta, marcela, perpétua, trevo, etc.)

Na procissão principal, que se realiza no segundo domingo de Maio, as raparigas que completam 18 anos (houve quem me dissesse 19 anos ?!) são as responsáveis pelo transporte dos cestos (alguns dos quais chegam a pesar cerca de 70 quilos!). Os bem desenhados e decorados cestos mostram paisagens, motivos religiosos ou brasões, tudo feito com flores e folhagens, todas elas presas com alfinetes (cestos há em que se colocam cerca de 3 quilos de alfinetes!). A "massa" do cesto é feita com uma planta local ( a cicuta, que por lá se chama "cegudas") e sobre ela se "bordam" os motivos. A encimar o cesto um generoso ramo de rosas completa o "bouquet". Cada mordoma quer fazer o cesto mais bonito de todos, resultando desta "concorrência" maravilhosas obras de arte.

A apresentação dos cestos ocorre no sábado, mas o desfile principal realiza-se no domingo numa procissão que tem lugar pelas ruas da aldeia, regressando depois à igreja local.
Poderão ser vistas - aqui - fotos das Festas de 2008 e 2009.
Festa das Rosas em Vila Franca do Lima (Viana do Castelo)