Valência - II

As fallas de Valência

Chegado o mês de Março, Valência transforma-se para viver as fallas! Em cada ano que passa tudo começa no primeiro dia de Março com as mascletás (exibições pirotécnicas) que ocorrem diariamente pelas 14 horas na Plaza do Ayuntamiento e culmina na noite de 19 para 20 com a cremà (queima). Este é o acontecimento - as Fallas de Valência - considerado nos rankings como uma das melhores festas do mundo e que encaminha para Valência milhares de visitantes cada ano.
No entanto, tudo começou pouco depois do dia 20 de Março do ano anterior!... Os artistas trabalharam durante um ano na criação de grandes grupos escultórios, conhecidos como Ninots (bonecos), onde a sátira social e política e o humor estão sempre presentes. As cores, as formas e os enormes volumes destas verdadeiras obras de escultura - chegam a ter 30 metros de altura- criam, durante uns dias, um autêntico museu na ruas de Valência. Durante estes dias a cidade enche-se de figuras gigantescas (em grande parte dos cruzamentos e praças elas estão presentes) que competem entre si em criatividade e espectacularidade e cujo final será épico: o fogo. Todas irão arder na noite de 19 para 20 de Março, todas menos uma que, por votação popular, se salva das chamas para passar a fazer parte da colecção do Museu Fallero.
A origem das fallas (fogueiras) está ligada aos carpinteiros de Valência que, desde o século XVII, no início da Primavera, costumavam montar anualmente com os desperdícios da sua actividade enormes fogueiras em frente às suas casas celebrando assim o dia do seu padroeiro - S. José. Depois este monte de desperdícios foi evoluindo, sendo enfeitados com panos velhos, dando-lhes assim um aspecto humano para, em meados do século XIX, começarem a melhorar-lhes as formas e aumentar o seu volume e altura, convertendo-as assim em monumentais bonecos decorativos. Actualmente são feitos em diversos materiais facilmente inflamáveis (o aspecto final é idêntico ao dos manequins das montras, mas muito coloridos).
O "grande dia" destas figuras - são à volta de 700(!) - é o dia 15 de Março, é a noite do tradicional plantà de fallas. Nessa noite, à excepção de algumas que por serem mais complexas são iniciadas mais cedo, são montadas as enormes estátuas para que na manhã do dia 16 Valência acorde habitada por caricaturas e representações satíricas que, com grande sentido de humor, criticam políticos, personagens famosos e os acontecimentos mais relevantes da actualidade. Ao lado das "fallas principais" há sempre uma outra, mais pequena, com motivos infantis dedicada às crianças.
Esta é a arte do efémero! No último dia e depois de premiar as melhores Fallas, o fogo e as chamas acabam com tudo. São momentos de tristeza, mas também de alegria... as Fallas já acabaram, no entanto, falta menos um dia para as do próximo ano, e os artistas voltam para o trabalho. Não faltem no próximo ano!
Valencia - II

1 comentário:

glória disse...

Deve ser duro ver arder os bonecos que se fizeram com tanto gosto! São realmente espectaculares! Muito bem feitos, muito alegres! E envolvem tantas pessoas, tanto trabalho... Mas vale bem a pena. Ficam lindíssimos!
É mesmo a arte do efémero. Tão bonita a ideia de que quando ardem todos os bonecos, já falta menos um dia para virem os próximos! Mesmo que ainda falte um ano para voltarem, é um pensamento animador.