Índice

Este índice foi elaborado tendo em vista facilitar a consulta dos diferentes posts, estando ordenado do seguinte modo: primeiro os posts de Portugal e depois os dos restantes países, estes ordenados alfabeticamente. Dentro de cada país a ordem corresponde à da data de publicação, primeiro o post mais antigo, seguindo-se os mais recentes.

Para facilitar a consulta mostro os cinco últimos posts publicados:
Festa do Povo em Campo Maior
Uns dias na Irlanda
O Mosteiro de Alcobaça
Vale de Katmandu 1987 - Nepal
A minha colecção de imbondeiros


Para ver "clicar" abaixo, fazendo depois retroceder para voltar a este índice.

PORTUGAL
Vila Franca do Lima (Viana do Castelo) - Festa das rosas - I
Figueira da Foz - Construções na areia
Porto - Carros eléctricos
Alijó - Estação do Pinhão - Azulejos
Santa Maria da Feira - Viagem medieval
Ponta Delgada (Açores) - Igreja de Todos os Santos (Colégio dos Jesuítas)
Lisboa - Mesquita
Vilarinho das Furnas - Terras do Bouro (Braga)
Coimbra - Festival Internacional de Papagaios
Vila do Conde - Tapetes de flores
Porto - Regata de barcos rabelo
Moliceiros da ria de Aveiro
Palace Hotel do Bussaco
Porto - Cortejo de Trajes de Papel
Vila Franca do Lima (Viana do Castelo) - Festa das rosas - II
Espinho - XIII Encontro de estátuas vivas
Arganil - Um passeio até Piódão
Oeiras - Os poetas no Parque dos Poetas
Castelo Branco - O Jardim do Paço Episcopal
Bombarral - Jardim da Paz (Buddha Eden Garden)

Porto - Os azulejos da estação de São Bento
Tomar - Festa dos Tabuleiros
Penacova - Mosteiro de Lorvão
Ponte de Lima - O "Samiguel" de Cabaços
Mosteiro de Alcobaça
Campo Maior - Festa do Povo

BULGÁRIA
O Mosteiro de Rila

CABO VERDE
As cores da Ilha do Sal
A ilha da Boa Vista

A ilha do Maio
A ilha do Fogo

CHINA
Shenzhen - China esplêndida

CROÁCIA
Uma manhã em Dubrovnik


CUBA
Havana - 30 fotos

ESPANHA
Valência - I
Valência - II

Barcelona - Palau de la Música Catalana

ÍNDIA
Hospet (Karnataka) - Templo hindu
Humpi (Karnataka)
Igrejas de Goa - I
Igrejas de Goa - II
As grutas de Ajanta (Maharashtra)
Uma tarde em Damão


REPÚBLICA DA IRLANDA
Uns dias na Irlanda

ITÁLIA
120 fotografias de Veneza

Umas horas em Bari e Matera

MOÇAMBIQUE
Nampula - 1972/2008


NEPAL
Vale de Katmandu - 1987

POLÓNIA
Wieliczka - Minas de sal
Auschwitz e Birkenau - Campos de concentração

REPÚBLICA DA ÁFRICA DO SUL

Sun City
Pretória - Voortrekker Monument

Os Lipizzaners

ROMÉNIA
Mosteiros de Bucovina

RÚSSIA
São Petersburgo - Pelas avenidas e canais
São Petersburgo - seis visitas monumentais!...

ZIMBÁBUE
Cascatas Vitória

DIVERSOS
As 10 melhores citações sobre viagens

A minha colecção de imbondeiros

Festas do Povo em Campo Maior

As Festas do Povo de Rio Maior consistem na decoração com flores de papel - enramação - das ruas, com destaque para as do Centro Histórico. É um acontecimento tradicional único que conta com a colaboração da população de Campo Maior. Tradicionalmente esta celebração não tem periodicidade definida - acontece quando o povo quer! É um trabalho voluntário e que só há relativamente pouco tempo passou a ter a colaboração da Câmara Municipal que fornece a quase totalidade dos materiais - papel, arame, cartão, paus, tintas,...
Em cada rua há um(a) cabeça de rua que organiza/define a decoração da mesma. A preparação, feita rua a rua, é realizada pelos moradores dessa rua e é um segredo bem guardado por todos... só na noite da "enramação" o segredo é desvendado.
Nas festas mais recentes foram decoradas mais de 100 ruas, totalizando cerca de 20 quilómetros. Trabalharam cerca de 7500 voluntários e foram utilizados mais de 30 toneladas de materiais. O número de visitantes terá sido da ordem de um milhão!
Dado tratar-se de um evento com elevada notoriedade a nível nacional e internacional e por ser um património cultural único, foi apresentada este ano a candidatura das Festas a Património Cultural Imaterial da UNESCO.


Uns dias na Irlanda

As fotos que mostro são o resumo duma viagem que fiz pela Irlanda, fundamentalmente pela República da Irlanda. Apesar de o tempo, em termos meteorológicos, não ter estado óptimo... valeu a pena!
A República da Irlanda, com capital em Dublin, é um estado soberano, pertencente à Comunidade, que ocupa cerca de cinco sextos da ilha com o mesmo nome - Irlanda. O outro sexto da ilha - a Irlanda do Norte, com capital em Belfast - faz parte do Reino Unido.
Com uma população de praticamente 4,6 milhões de habitantes, a República da Irlanda é independente (do Reino Unido) desde 1916 (mas só reconhecida em 1922).

Mosteiro de Alcobaça

Classificado como Monumento Nacional desde 1907 e como Património da Humanidade desde 1989, o Mosteiro de Alcobaça é o primeiro monumento integralmente gótico do País. Com cerca de 100 metros de comprimento, a igreja é o maior espaço religioso gótico de Portugal! 
Por doação de D. Afonso Henriques a São Bernardo de Claraval, Alcobaça viria a ser a última fundação, em vida, de São Bernardo. A construção do mosteiro iniciou-se por volta de 1178 e arrastou-se por várias décadas, vindo os religiosos a ocupar as instalações a partir de 1223.
A planta deste templo tem a forma de cruz latina e inclui um Deambulatório com nove capelas radiantes. Com mais de 20 metros de altura, a verticalidade acentuada confere-lhe uma beleza ímpar. No transepto do templo estão actualmente os túmulos de D. Pedro e D. Inês.
Durante os séculos XIII e XIV foram construídas a Sala do Capítulo, o Refeitório, a Sala dos Monges e o Dormitório. O Claustro do Silêncio, o maior claustro medieval português, foi mandado construir por D. Dinis. D. Manuel dá um forte impulso no engrandecimento do Mosteiro mandando construir, entre outras, a Sacristia Nova. Em 1752 é construída a cozinha, totalmente revestida de azulejos, onde se destaca a imponente chaminé e o tanque com água corrente, testemunho da genialidade dos monges de Cister no que respeita à engenharia hidráulica.
(extracto resumido de parte do site www.mosteiroalcobaca.pt)

O Mosteiro de Alcobaça


Nepal - Vale de Katmandu - 1987

O recente - 25 Abril de 2015 - sismo no Nepal (... não liguem à data do post) fez-me recordar a visita que fiz àquele país em 1987. Foram alguns dias passados exclusivamente em Katmandu, Patan e Bhaktapur, dias estes que não esqueci. Povo extraordinariamente acolhedor, sorridente, afável e prestável. As fotos que mostro resultaram da digitalização de slides, sendo que muitos deles já perderam parte da intensidade da cor... Como já passaram uns anos e os slides não estavam devidamente organizados, algumas das fotos que mostro não têm legenda, pois não sei onde foram tiradas. Espero que as que legendei estejam correctas...
Depois do sismo desconheço o estado em que ficaram os locais por onde passei...

Nepal - 1987


A minha colecção de imbondeiros

Desde há muito que os imbondeiros me fascinam! Penso ter visto pela primeira vez um imbondeiro ainda não teria 10 anos de idade... Ao longo dos anos fui tirando fotografias e guardando... aqui fica uma selecção entre as centenas que tirei.
Esta árvore, que chega a atingir os 25 metros de altura (excepcionalmente 30m) e o diâmetro de 7m (podendo chegar aos 11m) é também conhecida por baobá, embondeiro, ou calabaceira. Opto por imbondeiro porque foi este o nome que "aprendi" em criança.
Esta árvore majestosa desenvolve-se bem em zonas sazonalmente áridas. São árvores de folhas caducas, que caem durante a época seca e têm duas, por certo entre muitas, particularidades: a sua capacidade de armazenamento de água dentro do tronco (pode chegar aos 120 mil litros!) e a sua madeira não tem anéis, o que torna impossível a confirmação pelos botânicos da idade das árvores que em alguns locais têm fama de ter milhares de anos.
Existem oito espécies diferentes, sendo seis nativas de Madagácar, outra do Continente Africano e Médio Oriente e uma outra da Austrália.
O imbondeiro figura no escudo nacional do Senegal e é a árvore nacional de Madagáscar.

Mosteiros de Bucovina (Roménia)

Entre 1457 e 1504 governou nesta região - Bucovina - o príncipe Estevão III (Stefan cel Mare - Estevão o Grande) famoso em toda a Europa por se ter oposto, com sucesso, ao alargamento do Império Otomano. Travou 46 grandes batalhas e apenas perdeu duas! Para "marcar" a sua primeira vitória, há mais de cinco séculos, mandou construir um grande mosteiro com paredes coloridas por artistas da época. Após a sua segunda vitória mandou construir outro mosteiro e assim foi continuando... por cada vitória um mosteiro! Esta "tradição" foi seguida pelo seu filho e sucessor Petru Rares e por muitos dos seus vassalos. Aquilo que começou por ser um troféu de guerra, transformou-se numa das obras de arte mais impressionantes do mundo, sendo sete destas igrejas consideradas pela UNESCO, desde 1993, como Património Mundial. Da minha visita a Bucovina ficam as fotos de três mosteiros/igrejas - Moldovita (1532 - fundador Petru Rares), Humor (1530 - fundador Toader Bubuiog) e Voronet (1487 - fundador Estevão III) - todos eles Património da Humanidade.

O que mais impressiona nestes mosteiros/igrejas são as pinturas das paredes exteriores que continuam cobertas de magníficos frescos. Considerados obras primas da arte bizantina, estes frescos tinham uma função muito para além da decoração: numa altura em que a maior parte da população era analfabeta, as imagens mostravam (mostram) cenas da Bíblia, da vida de Cristo, retratos dos santos, apóstolos, anjos e demónios e até dos inimigos e cenas de batalhas! Tinham como função transmitir, através das imagens, ensinamentos da religião.