As grutas de Ajanta - Maharashtra (Índia)

Depois de uma viagem de comboio desde Mumbai (que há uns anos atrás se chamava Bombay ou Bombaim), chega-se a Aurangabad, a estação mais perto de Ajanta. Daqui até às grutas serão ainda mais ou menos duas horas de táxi.
As grutas de Ajanta (há também quem lhes chame cavernas), situam-se no estado de Maharashtra e foram declaradas Património Mundial da UNESCO em 1982.
As primeiras grutas foram iniciadas no séc. II AC (!) e as últimas no séc. VII da nossa era. São 29 grutas (mas também li que são 30...32 ?!?) esculpidas na rocha vulcânica por trabalhadores que, dispondo apenas de escopros e martelos rudimentares, cinzelaram a pouco e pouco a rocha, talharam colunas, abriram espaços, esculpiram magnificas estátuas... Nas paredes e tectos aplicaram gesso e criaram extraordinárias pinturas coloridas. A maioria destas pinturas têm mais de 1500 anos e esses artistas desconhecidos, dez séculos antes do renascimento europeu, deixaram-nos pinturas realistas e mostram-nos que já conheciam a perspectiva e a profundidade!
A religião budista foi a impulsionadora da "abertura" das grutas, sendo que cinco delas são chaityas ou templos e as restantes são viharas ou mosteiros (de referir que em alguns destes há camas esculpidas na pedra, com almofada, onde os monges podiam descansar!). No séc. XVII o Budismo começou a desaparecer e as grutas de Ajanta foram esquecidas!!! Depois de vários séculos totalmente esquecidas, foram redescobertas em 1819 por um oficial britânico, sendo desde então desenvolvidos esforços para a restauração e para a conservação das grutas, especialmente das pinturas.

Ajanta

2 comentários:

Diogo disse...

Ora viva meu Bom Amigo Taborda
Gostei imenso do teu trabalho e muito sinceramente mando-te os meus parabens. Espero como sabes estar este ano nesta maravilha que apresentas aqui. Talvez seja possível um nosso encontro nestas terras distantes.
Grande abraço
Diogo

glória disse...

Quando li "grutas, cavernas", pensei que fossem mesmo aquelas grutas naturais e tradicionais. Mas são autênticas obras de arte! Como é incrível que tenham sido construídas com instrumentos tão rudimentares! São muito, muito bonitas e imponentes!
Achei bem engraçada a parte das camas esculpidas na pedra, com almofadas, que deviam também ser de pedra. Muito confortáveis não eram... mas é tudo muitíssimo lindo!