Moliceiros da Ria de Aveiro

O barco moliceiro ou simplesmente o moliceiro era originalmente utilizado para apanha do moliço (plantas aquáticas que são recolhidas para uso, como adubo, na agricultura) na ria de Aveiro e na região lagunar do rio Vouga. Esta actividade está em vias de desaparecer sendo os moliceiros usados actualmente mais para fins turísticos. O moliceiro é um barco de borda baixa (para facilitar o carregamento do moliço), muito elegante (há quem o considere como o barco regional mais elegante de Portugal) e é um dos ex-libris de Aveiro. Construído em madeira de pinheiro, o moliceiro tem cerca de 15 metros de comprimento, 2,5 metros de largura de boca e navega em pouca altura de água. Na sua propulsão usa uma vela, a vara e a sirga (cabo utilizado para rebocar os barcos nas passagens mais estreitas e/ou junto à margem). A proa e a ré são normalmente decorados com vistosas pinturas, resultando assim quatro quadros por barco, que ora ridicularizam de modo brejeiro situações do dia a dia, ora mostram motivos religiosos e históricos, ora... (vejam as fotos!...). Uma parte das fotos que mostro foram obtidas no "grande canal" em Aveiro e as restantes na Torreira antes da regata Torreira-Aveiro que se realiza anualmente.

Moliceiros

4 comentários:

william disse...

Ó João, desculpa só agora comentar estas lindíssimas fotos sobre os moliceiros da "minha" ria. Pergunta: em algumas destas fotos os barcos não iam com notor? Como sabes hoje em dia os moliceiros são mais "passeeiros" que outra coisa, o tempo do moliço já era. E o moliceiro clássicamente é um barco indolente, quando em funções - carregado de moliço, podendo ser que abra uma excepção para a regata...

Um abraço

william disse...

não "notor" mas motor, claro...

adrobat disse...

Na regata os moliceiros só eram propulsionados pela vela. Reparei no entanto que alguns tinham lugar para motor.

glória disse...

Não fazia ideia de que os moliceiros era tão grandes! Quinze metros de comprimento, é um tamanho considerável!
E como são bonitos! É uma boa ideia transformá-los em motivo de atracção turística. Apesar de desvirtuados, não desaparecem, e isso é muito importante. Até os barcos têm que se adaptar ao progresso...
Barcos lindos, uma ria linda e umas fotos, como sempre, belíssimas!