Palace Hotel do Bussaco

No coração da majestosa Mata do Bussaco (vê-se em muitos sítios Buçaco! qual será a grafia certa?) situa-se o fantástico Palace Hotel do Bussaco. Por mais adjectivos que possa usar não serão os suficientes para definir esta construção! O Palace Hotel do Bussaco é "somente" um dos mais belos, impressionantes e históricos hotéis do mundo!
O edifício é imponente mas harmonioso, nele se "sentindo a mão" de nomes sonantes da arquitectura da época: Luigi Manini (cenógrafo do Real Teatro de São Carlos e arquitecto do Palácio da Regaleira), Nicola Bigaglia, Manuel Norte Júnior (sumidade da Arte Nova em Portugal) e José Alexandre Soares.
A rodear este conjunto arquitectónico está um bonito jardim e 105 hectares de floresta murada - “ex-libris” botânico de Portugal - plantada pelos monges Carmelitas no início do século XVII, com espécies vegetais de todo o mundo. Para além de abetos, sequóias, castanheiros, tílias e gigantescos eucaliptos, não pode deixar de referir-se os fetos e o mundialmente conhecido cedro do Bussaco.
Pensa-se que foi o rei D. Fernando II que o terá mandado construir para servir de pavilhão de caça e para acolher a família real nos seus retiros estivais. Este monarca, grande impulsionador do neomanuelino em Portugal, foi o responsável pela construção do Palácio da Pena, em Sintra e, segundo os especialistas, os dois edifícios têm em comum numerosos detalhes: desde logo serem neomanuelinos, haver em ambos muitas referências aos Descobrimentos, terem influências orientais e haver uma comunhão perfeita entre as construções e a natureza que os envolve. Acontece, no entanto, que as obras no Bussaco se iniciaram só em 1888 (terminaram em 1907) e D. Fernando II morreu em 1885, pelo que a ideia da sua construção não lhe chegou a ser atribuída. D. Carlos chegou a ocupá-lo por várias vezes ainda durante a construção sendo, em 1909, transformado em Hotel mas com uma ala reservada para a família real. A partir de 1917, e até aos nossas dias, a gestão do hotel tem pertencido a sucessivas gerações da família Alexandre de Almeida.
Muitas personalidades nacionais e estrangeiras já aqui dormiram, desde reis, rainhas, príncipes, princesas, escritores (é conhecido o quarto nº 7 por ter sido ocupado por Agatha Christie), actores (um dos últimos foi Mel Guibson) e até Chistine Garnier, que foi apontada como amante de Salazar!

Bussaco

3 comentários:

glória disse...

Hum... entre a água do luso e o café... aceito o café, obrigada.
Este hotel, mais do que um hotel é de facto um palácio. Lindo, lindo de morrer! Digno de princesas de contos de fada, de cavaleiros andantes... É incrivelmente belo e majestoso. Um lugar encantado! É muito bom saber que existem sítios assim tão bonitos. Podemos usá-los como cenário para sonhar!

Anónimo disse...

I just signed up to your blog rss feed. Will you post more on this topic?

Anónimo disse...

This blog post is awarded a 2 thumbs way up from me.